Páginas

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Brasil prepara Feira do Livro de Frankfurt 2013

A ministra da Cultura brasileira, Ana de Hollanda, foi à abertura da FLIP-Festa Literária Internacional de Paraty, lançar um programa de apoio à tradução de obras brasileiras no estrangeiro. Até 2020 vão ser investidos 12 milhões de reais (cerca de 5 milhões de euros).



Ana de Hollanda assinou um acordo da FNB para o financiamento de traduções de obras brasileiras (DR/André Conti)

Até 2020, o Brasil vai investir 12 milhões de reais, cerca de 5 milhões de euros, para que a literatura brasileira fique mais conhecida no estrangeiro e para que a quantidade de livros traduzidos aumente. A ministra da Cultura brasileira e o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, estiveram na Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), que está a decorrer no Brasil desde ontem à noite até domingo, a apresentar este Programa de Bolsas de Tradução e Publicação de Reedições.

Em 2013 , o Brasil volta a ser país convidado da Feira do Livro de Frankfurt e o país quer aproveitar a "imagem rica e extraordinária" que tem actualmente a nível internacional" para apostar na construção de uma nova política do livro. Este é, para a ministra brasileira, um momento propício para um programa desse tipo. "O Brasil é o país do momento", disse Ana de Hollanda que acabou de regressar da Europa: esteve na Bélgica no lançamento da Europalia 2011 que tem o Brasil como convidado. “O português é um idioma muito falado, mas pouco conhecido”, acrescentou a ministra que espera que a situação se modifique, para melhor, se houver uma maior internacionalização de textos produzidos por literatos e pensadores brasileiros.

Por isso, a Fundação Biblioteca Nacional "planeia destinar, em dez anos, 12 milhões de reais (cerca de 5 milhões de euros)" a serem investidos em editoras estrangeiras interessadas em traduzir ou reeditar autores brasileiros. "O valor, que será de 1 milhão de reais em 2011, será ampliado anualmente, até chegar a 1,4 milhão de reais em 2020", explicou na conferência de imprensa Galeno Amorim, presidente da Fundação Biblioteca Nacional brasileira. "Para a edição que compreende o triénio 2010/2013, com reflexos já na Feira do Livro Frankfurt em 2013, serão investidos 3,2 milhões de reais." Estes recursos vão sair do Fundo Nacional de Cultura.

Para que se tenha uma ideia da dimensão desta nova política: entre 2001 e 2010 o Brasil investiu, em média, 100 mil reais por ano, o que foi suficiente para apoiar 160 bolsas de tradução para outros idiomas. Os autores brasileiros estão actualmente traduzidos em 26 países diferentes.

Da estratégia de divulgação deste programa faz parte a participação do Brasil em seminários internacionais e feiras do livro a serem realizadas em cidades como (Bogotá, Frankfurt e Bolonha) e estão a ser elaborados catálogos com as obras que estão disponíveis para publicação em outras línguas, bem como material de apresentação dos autores clássicos brasileiros a editores estrangeiros. Amanhã, às 19h30, na Casa da Cultura, em Paraty a Fundação Biblioteca Nacional apresentará em detalhe este programa para editores, tradutores, agentes literários, autores e para o público da Flip.


Fonte: http://www.publico.pt/Cultura/brasil-prepara-feira-do-livro-de-frankfurt-2013_1501895#

Nenhum comentário: