Páginas

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O Brasil e a olimpíada do livro de 2013

Em junho desse ano, o MINISTRO da CULTURA, JUCA FERREIRA, e o diretor da Feira do LIVRO de Frankfurt, Jüergen Boss, com o apoio da Câmara Brasileira do LIVRO, assinaram um protocolo de intenções que firma o BRASIL como país homenageado do evento literário alemão em 2013. Frankfurt é sede da maior feira de venda de direitos de reprodução de livros no mundo e cerca de dois milhões de pessoas a visitam a cada edição.

Ao levar o BRASIL à Frankfurt teremos, além do diálogo entre países, uma grande oportunidade de vender os livros dos autores brasileiros. Editoras dos quatro cantos do país poderão lançar seus autores e publicações. Entretanto, devido à dimensão do evento, é fundamental que haja uma preparação para a feira, que representará uma verdadeira olimpíada do LIVRO e dos direitos de reprodução para o BRASIL em 2013.

As autoridades brasileiras, juntamente com a Câmara Brasileira do LIVRO e o MINISTÉRIO DA CULTURA devem investir fortemente nesse evento. Vivemos um momento importante dentro da esfera global. Nos próximos anos, as atenções mundiais estarão muito voltadas para o BRASIL. Eventos como as Olimpíadas de 2016, no Rio, e a Copa do Mundo de 2014, no BRASIL, estão na pauta do país e do mundo.Devemos, de fato, nos organizar a fim de consolidar ainda mais a economia criativa em nosso país, que é a grande economia do século 21. O século 21 é marcado por uma transição para a era da economia do conhecimento. A riqueza revolucionária da 3ª Onda, defendida por Alvin Toffer, é cada vez mais baseada no conhecimento.

O BRASIL pode ser o melhor dos Brics, através do fortalecimento da economia criativa. Transformar inventividade em competitividade. A tendência é aumentar a riqueza gerada pela economia baseada no desenvolvimento das indústrias culturais e de criatividade.

As editoras, autores e produtoras culturais devem se empenhar para que nossas obras sejam expostas de maneira competente para todo o mundo. Através de novas publicações, novas edições de livros já lançados e traduções de obras para idiomas como o alemão, espanhol, francês, inglês e o crescente mandarim poderemos fazer uma bela participação nessa vitrine para o mundo do setor livreiro. É uma oportunidade única para o país do futebol mostrar que também é o país dos livros. 


Fonte: JORNAL DO BRASIL - RJ | CADERNO B , 22/11/2010

Nenhum comentário: