Páginas

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O Brasil e a olimpíada do livro de 2013

Em junho desse ano, o MINISTRO da CULTURA, JUCA FERREIRA, e o diretor da Feira do LIVRO de Frankfurt, Jüergen Boss, com o apoio da Câmara Brasileira do LIVRO, assinaram um protocolo de intenções que firma o BRASIL como país homenageado do evento literário alemão em 2013. Frankfurt é sede da maior feira de venda de direitos de reprodução de livros no mundo e cerca de dois milhões de pessoas a visitam a cada edição.

Ao levar o BRASIL à Frankfurt teremos, além do diálogo entre países, uma grande oportunidade de vender os livros dos autores brasileiros. Editoras dos quatro cantos do país poderão lançar seus autores e publicações. Entretanto, devido à dimensão do evento, é fundamental que haja uma preparação para a feira, que representará uma verdadeira olimpíada do LIVRO e dos direitos de reprodução para o BRASIL em 2013.

As autoridades brasileiras, juntamente com a Câmara Brasileira do LIVRO e o MINISTÉRIO DA CULTURA devem investir fortemente nesse evento. Vivemos um momento importante dentro da esfera global. Nos próximos anos, as atenções mundiais estarão muito voltadas para o BRASIL. Eventos como as Olimpíadas de 2016, no Rio, e a Copa do Mundo de 2014, no BRASIL, estão na pauta do país e do mundo.Devemos, de fato, nos organizar a fim de consolidar ainda mais a economia criativa em nosso país, que é a grande economia do século 21. O século 21 é marcado por uma transição para a era da economia do conhecimento. A riqueza revolucionária da 3ª Onda, defendida por Alvin Toffer, é cada vez mais baseada no conhecimento.

O BRASIL pode ser o melhor dos Brics, através do fortalecimento da economia criativa. Transformar inventividade em competitividade. A tendência é aumentar a riqueza gerada pela economia baseada no desenvolvimento das indústrias culturais e de criatividade.

As editoras, autores e produtoras culturais devem se empenhar para que nossas obras sejam expostas de maneira competente para todo o mundo. Através de novas publicações, novas edições de livros já lançados e traduções de obras para idiomas como o alemão, espanhol, francês, inglês e o crescente mandarim poderemos fazer uma bela participação nessa vitrine para o mundo do setor livreiro. É uma oportunidade única para o país do futebol mostrar que também é o país dos livros. 


Fonte: JORNAL DO BRASIL - RJ | CADERNO B , 22/11/2010

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sai plano nacional de cultura

Com força constitucional, legislação cria metas para próximos 10 anos a todas instâncias públicas

O Congresso aprovou ontem, por unanimidade, o Plano Nacional de Cultura (PNC) em caráter terminativo - agora, só falta a sanção presidencial. Assim como outros planos de políticas públicas (Plano Nacional de Saúde e Plano Nacional de Educação), o PNC estabelece metas obrigatórias para os próximos dez anos na área cultural.

"É equivalente à carta de navegação para os marinheiros: traz as diretrizes para os governos estaduais e municipais e o governo federal, para que o fogo não seja reinventado todo dia", disse ontem, 20 minutos após a aprovação, o Ministro da Cultura, Juca Ferreira. A derradeira aprovação do projeto de lei, na manhã de ontem, se deu por unanimidade na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado.

Segundo o Ministério da Cultura, o projeto do plano foi concluído após consultas públicas, audiências e debates (muitos deles organizados pelo próprio Congresso) - entre eles a 1.ª Conferência Nacional de Cultura, Câmaras Setoriais, Fóruns e Seminários. Já o texto foi um trabalho em parceria entre os Poderes Legislativo e Executivo. Como é previsto na Constituição Federal (foi incluído na emenda constitucional 48, em 200), é decisivo na formulação de políticas públicas de longo prazo.

Segundo o texto, o plano inclui o seguinte: "Fortalecimento institucional e definição de políticas públicas que assegurem o direito constitucional à cultura; proteção e promoção do patrimônio e da diversidade étnica, artística e cultural; ampliação do acesso à produção e fruição da cultura em todo o território; inserção da cultura em modelos sustentáveis de desenvolvimento socioeconômico; estabelecimento de um sistema público e participativo de gestão, acompanhamento e avaliação das políticas culturais."

A aprovação do PNC chega num momento delicado para o Ministério da Cultura: a definição do nome que vai se manter à frente do MinC nos próximos quatro anos no governo Dilma Rousseff. Ministério alimenta expectativa, interna, de que Juca Ferreira seja reconfirmado no cargo, mas isso só será definido após regresso da presidente eleita de Seul. "O importante é que há um compromisso da presidente eleita com a área cultural. Ela participou, na Casa Civil, da formulação de todos os projetos do setor, que são programas do governo. O resto é política", disse o ministro.

Entre os projetos vitais para o MinC, em tramitação no Congresso, estão o ProCultura (que reforma a antiga Lei Rouanet e cria fundos de incentivo direto); o Vale Cultura (adoção de um vale, semelhante aos vales-refeição, que dará R$ 50 para os trabalhadores adquirirem ingressos de cinema, teatro, museu, shows, livros e outros produtos culturais); a criação do Sistema Nacional de Cultura (que formaliza a cooperação entre União, Estados e municípios); e a PEC 150, que estabelece piso mínimo de 2% do orçamento federal, 1,5% do estadual e 1% do municipal para a cultura. Juca Ferreira participou da criação de todos eles, primeiro como secretário executivo da gestão Gilberto Gil, depois como seu sucessor.

Pré-Sal. Juca Ferreira também lutou pela inclusão da Cultura no Fundo Social do Pré-Sal (projeto de lei 5940/09), que já foi aprovado com emendas no Senado Federal e retornou à Câmara dos Deputados para apreciação das modificações.

Outra legislação, essa mais polêmica, em exame no Congresso é o anteprojeto de lei que moderniza a Lei de Direito Autoral (Lei 9.610/1998), que tem como principal objetivo abarcar as questões autorais dentro da nova ordem digital. Combatido por setores da área musical, foi acusado de "dirigismo" por associações de classe.

Sistema de Informações
Lei cria o Sistema Nacional de Informações Culturais, cujo objetivo será coletar, sistematizar e interpretar dados, fornecer metodologias e estabelecer parâmetros da cultura e suas necessidades e dispor estatísticas, indicadores e modelos econômicos; também estabelece formas de adesão de Estados, Distrito Federal e Municípios às diretrizes e metas do PNC, além das propostas plurianuais; prevê colaboração entre agentes públicos e privados.

Cultura digital
Plano, que abrange cultura digital, turismo cultural e desenvolvimento sustentável, tem revisão prevista em quatro anos e tem o MinC como executor operacional - definirá meios de financiamento e instituirá sistema de monitoramento e avaliação periódica do alcance das diretrizes e eficácias das metas.


Fonte: O ESTADO DE S. PAULO - SP , 10/11/2010, Jotabê Medeiros

Vale Cultura deve ser aprovado este ano


PROJETO pretende disponibilizar R$ 50 mensais para trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos


A proposta de criação do VALE CULTURA, que aos moldes do Bolsa Família, pretende incentivar a população a frequentar e adquirir bens culturais, não deve encontrar resistência para ser aprovada no Congresso. Para os trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos, serão disponibilizados R$ 50 por mês para assistir a espetáculos de dança, ir ao CINEMA ou comprar livros e DVD´s. Para quem entende do assunto, no entanto, não é apenas a falta de dinheiro que impede as pessoas de consumirem CULTURA.



A estimativa do MinC é que R$ 6 bilhões sejam injetados por ano no mercado cultural, por meio de incentivos fiscais às empresas que participarem do PROGRAMA. A contrapartida para o trabalhador será de até 10% do valor do benefício (R$ 5), descontado no contracheque. Estagiários e portadores de deficiências também terão direito. Para os aposentados, o valor disponibilizado será de R$ 30.



O deputado Fernando Ferro (PTPE), líder do PT na Câmara, afirma que todas as iniciativas de INCENTIVO à CULTURA e a LEITURA são importantes e devem fazer parte da "cesta básica da cidadania".



- O PROJETO é de âmbito nacional e vai favorecer a população mais carente de CULTURA no país - defende.



A proposta parece encontrar apoio também na oposição. Apesar de mostrar certo ceticismo, o deputado Gustavo Fruet (PSDBPR), líder da minoria, afirma que todo INCENTIVO a CULTURA é bem vindo.



- Só o tempo mostrará se o VALE CULTURA atingiu o objetivo proposto e qual o impacto de renúncia fiscal das empresas participantes - afirmou. 


Fonte: ASCOM/MinC  Jane Rocha - Brasília
 

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Höchst und Brasilien wachsen zusammen

Journalisten, Kulturschaffende und Politiker aus Brasilien kommen zum Filmfestival nach Höchst.

Höchst. Was haben Höchst und Brasilien gemeinsam? Beide starten durch, und langsam wird ihre Bedeutung auch außerhalb der eigenen Grenzen neu wahrgenommen, könnte eine Antwort auf die nicht ganz ernstgemeinte Frage sein. Denn natürlich lässt sich der Stadtteil im Westen Frankfurts nicht mit der südamerikanischen Wirtschaftsmacht vergleichen. Um so erstaunlicher ist es, welchen Aufwand die Brasilianer betreiben, um das dritte brasilianische Filmfestival zu einem Erfolg werden zu lassen.


Dass es nun ausgerechnet Höchst mit seinem kleinen aber feinen Filmforum ist, in dem die Filme gezeigt werden, kommt nicht von ungefähr. Seit Jahrzehnten arbeiten Klaus-Peter Roth und sein Team daran, dem lateinamerikanischen Kino ein Forum zu bieten.

Mit der brasilianischen Filmbranche ist jetzt ein potenter, möglicherweise bald international agierender Akteur auf der Bühne erschienen. So geht es bei dem Filmfestival, das am morgigen Donnerstag um 18.30 Uhr offiziell mit einem Umtrunk eröffnet wird, nicht nur um die Präsentation interessanter Filme, sondern auch um das Anberaumen neuer Kontakte. Regisseure, Produzenten, Drehbuchautoren und kulturpolitische Vertreter Brasiliens werden sich in der Festival-Lounge einfinden.

Der Eröffnungsfilm «Praça Saens Peña» (Donnerstag, 11. November, 19 Uhr) erzählt die Geschichte von Paolo, einem Gymnasiallehrer, und seiner Frau Teresa, der Geschäftsführerin einer Imbissbude. Wirtschaftlich scheint es bergauf zu gehen, als Paolo ein Buch über das Stadtviertel Tijuca schreiben soll. Doch dann führt dieses Projekt zu einer familiären Krise. Die Produzentin Gisela Camara ist anwesend.

Am Freitag, 12. November, wird es experimentell: Von 20.30 Uhr an wird der Film «A falta que nos move – Die Abwesenheit, die uns bewegt» gezeigt. Die fünf Schauspieler haben ihre Regieanweisungen während des Drehens nur per SMS bekommen. Erzählt wird die Geschichte von fünf Freunden, ihr Verhältnis zu 20 Jahren Militärdiktatur. Erinnerungen kommen an die Oberfläche. Fiktion und Realität verbinden sich. . .

Von Freitag bis Dienstag stehen täglich zwei Vorführungen auf dem Programm: Die frühe Vorführung beginnt um 18.30 Uhr, die späte um 20 Uhr. Am Mittwoch, 17. November, geht das Festival mit dem Film «Olhos azuis», Beginn 20 Uhr, zu Ende.

Fonte: Artikel vom 10. November 2010, 03.22 Uhr (letzte Änderung 10. November 2010, 05.01 Uhr)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A foto que a imprensa brasileira não publicou...





O nome desta senhora, ex-favelada do Rio de Janeiro, é Corina Edelvina Bento. Ela chora de emoção e sacode as chaves de sua casa nova, ao mesmo tempo em que é beijada pelo presidente Lula. Dona Corina morava numa favela em precárias condições. Agora, é uma das beneficiárias do programa Minha Casa, Minha Vida.

A fotografia é tão (politicamente) persuasiva que não foi publicada em nenhum jornal do Brasil, por razões óbvias. Foi publicada - acredite - no The Wall Street Journal, de propriedade do grupo midiático de Rupert Murdoch, que também detém o controle da famigerada Fox News, apoiadores do republicanismo conservador e do Tea Party.

Para se ter uma ideia do que é a News Corp. (empresa controladora do grupo), José Maria Aznar, ex-primeiro ministro da Espanha, é membro efetivo do board de 17 diretores do vasto grupo de entretenimento.

A fotografia foi tirada no dia 25 de outubro último, por Felipe Dana, da AP.



Fonte: http://glauberpiva.blogspot.com/