Páginas

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ópera ‘Amazonas’

Estreia do espetáculo multimídia será na abertura da Bienal de Munique, neste sábado, dia 8

O ministro Juca Ferreira será representado pelo secretário executivo do Ministério da Cultura, Alfredo Manevy, na estreia mundial do espetáculo multimídia Amazonas - Teatro música em três partes, que abre a Bienal de Munique (Alemanha), neste sábado, dia 8 de maio.

Agregando teatro, música, elementos audiovisuais, tecnologia e ciência, a ópera, dividida em três atos, reúne desde 2006 esforços de inúmeros artistas e realizadores culturais dos dois países para falar das extraordinárias riquezas naturais da região e situação ameaçadora da maior floresta tropical do mundo. Unindo talento e grande poder de conscientização, a montagem pretende, dentro de visão artística contemporânea, fortalecer a discussão sobre o futuro da Amazônia dentro de âmbito internacional.

A apresentação, que abre a Bienal de Munique, será destaque da programação cultural do SESC Pompéia, em São Paulo, entre os dias 21 e 25 de julho. “Esse projeto é a realização de um sonho de muitas pessoas. Depois da Alemanha, queremos que essa história volte para o lugar de onde veio, ou seja, apresentado em Manaus”, destacou Maria do Carmo Gongora, a Carminha, assistente cultural do Instituto Goethe de São Paulo, um dos parceiros da empreitada junto com a Bienal de Munique, o Centro de Arte e Mídia (ZKM Karlsruhe), Hutukara Associação Yanomami, Ópera Nacional de São Carlos (Portugal), SESC São Paulo e o Ministério da Cultura.

Entre os nomes envolvidos no projeto estão os artistas multimídia Gisela Motta, Leandro Lima, o diretor do Centro de Arte e Mídia alemão Peter Weibel, o compositor paranaense Tato Taborda, o antropólogo francês Bruce Albert e o produtor austríaco Michael Scheidl, além do sociólogo Laymert Garcia dos Santos.

Espetáculo de grande sinergia de ideias e conceitos artísticos, a ópera traz como protagonista o grande gigante verde que ganha voz não só apenas dentro de conceito artístico ousado, mas também a partir das observações atentas de cientistas alemães e brasileiros, e da preciosa cultura do povo Yanomami, um dos últimos habitantes primitivos da região. Representantes da tribo também marcarão presença na abertura da Bienal que segue até o dia 12.

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/05/07/bienal-de-munique/
(Lucio Flávio, Assessoria de Imprensa SE/MinC)

Nenhum comentário: